Festa das Fantasias

Final de outubro e início de novembro envolvem datas comemorativas tradicionais e aquelas que são cada vez mais comuns no nosso cotidiano. Dia 31 de outubro é o Dia do Saci e também o dia das Bruxas (Halloween), e 2 de novembro é Finados (Día de los Muertos nos outros países da América Latina).

Acreditamos que a escola deve dar espaço para que as famílias escolham, de acordo ao seu estilo de vida, as datas que desejam celebrar e tornar rotina familiar. Ao mesmo tempo, sempre nos perguntamos como podemos acompanhar o que acontece além da escola, na rua, na comunidade. Neste sentido, buscamos em nossas comemorações incluir elementos dessas datas que possam ser compreendidos pelas crianças e que transmitam mensagens de entendimento da diversidade cultural do mundo.

Durante a semana nossa equipe trabalhou com as crianças os temas fantasia e realidade. Com esta inspiração conversamos sobre criaturas reais e imaginárias que podem dar medo. Por exemplo, as aranhas e os morcegos, que nesta época do ano estão presentes devido à popularidade que o Dia das Bruxas/Halloween vem ganhando no Brasil e na nossa cidade. As crianças participaram de atividades de confecção de morcegos de papel e aranhas reutilizando garrafas PET. As crianças também fizeram bolachinhas de aveia e cacau para rechear as aranhas. Foi divertido e sem querer o resultado combinou com o tema da semana, porque as bolachas ficaram bonitas (fantasia) mas duras de verdade (realidade)!

O escuro também foi tema de conversas e arte, quando as crianças pintaram com aquarela o dia e a noite. A equipe selecionou leituras relacionadas, como o belo Noite do Sertão, de Cynthia Cruttenden (Cosac Naify). Ler no escurinho, todos juntinhos, foi sensacional!

O professor Gabriel Almeida Nogueira fez a sua oficina de Contação de Histórias da semana com o livro Saci Pererê (Paraíso da Criança), em alusão ao dia 31 de outubro, considerado o Dia do Saci.

Entre as atividades alusivas ao Dia de Finados, um delicado tema para tratar com as crianças, o prof. João Cruz trabalhou o Boi-bumbá (ou Bumba-meu-boi). O folclórico Boi-bumbá é uma dança popular brasileira, com “personagens humanos e animais fantásticos que dançam e giram em torno de uma lenda sobre a morte e ressurreição de um boi” (Wikipedia). As crianças dançaram e também pintaram uma figura do Boi-bumbá.

Dia 1º de novembro tivemos mais um agradável e divertido evento no pátio da escola: a Festa das Fantasias. Crianças, famílias e equipe desfrutaram de agradáveis momentos no pátio da escola, decorado com arte das crianças, pinhatas e a mesa de comidinhas, mas o que deu o toque especial foram as criativas fantasias dos participantes. A professora Danusa estava lá com sua tradicional e concorrida banquinha de pintura facial. Entre borboletas e morcegos surgiram Calaveras e Catrinas, que são representações do crânio humano e fazem parte das representações da cultura mexicana para o Día de los Muertos.

Confira as fotos desta semana e da nossa Festa das Fantasias!

 

 

Verão e carnaval na Escola Upiá

Na quinta-feira, dia 8 de fevereiro, tivemos um final de tarde mais colorido quando o Bloco da Upiá tomou conta do pátio. O clima colaborou e as crianças, famílias e equipe puderam aproveitar juntas mais uma festa da nossa escola. Continuar lendo Verão e carnaval na Escola Upiá

Um avião vermelho passou por aqui

Os ventos da 45ª Feira do Livro de Pelotas trouxeram para a Escola Upiá um avião vermelho copilotado pelo contador de histórias Rogério Rocha.

A interpretação teatral de hoje foi baseada em As Aventuras do Avião Vermelho, de Érico Veríssimo. Inspirador para curtir a Feira do Livro com as crianças neste final de semana.

Confira as fotos desta sexta no nosso álbum!

 

Festa Cultural Calavera Colorida

No dia 1º de novembro a Escola Upiá promoveu a Festa Cultural Calavera Colorida, um momento com brincadeiras, exposições artísticas, símbolos e mensagens em alusão às datas comemorativas desta semana, como o Dia das Bruxas, Halloween, Dia do Saci e o feriado nacional do Dia de Finados.

A equipe da escola decorou o pátio com enfeites coloridos e símbolos culturais do Día de los Muertos, celebrado em vários países da América Latina, sendo conhecida popularmente a tradição mexicana. O pátio estava colorido com as calaveras ou calacas e catrinas, que representam as pessoas que já morreram e vêm de visita para passar o dia com quem as recorda, e logo no início da Festa Cultural a própria Calavera Colorida tomou corpo e levantou de sua tumba para brincar e aproveitar a festa.

No corredor lateral do pátio estava o Altar da Ancestralidade. Esta adaptação do altar de muertos convidou os visitantes a pendurarem uma estrela em agradecimento aos nossos ancestrais pela cultura que herdamos. Os altares são tradicionalmente enfeitados com fotos, comidas e objetos representativos para que os antepassados desfrutem o dia de visita. Durante as visitas ao Altar da Ancestralidade, ouvimos conversas entre pais e filhos sobre detalhes do altar, os esqueletos (Catrinas), as bonecas ancestrais andinas e o sentido de tudo aquilo. Na parede ao lado estava o modo de usar o Altar da Ancestralidade no contexto do nosso evento para aqueles que quisessem puxar a conversa: “o sentido é você que dá”.

A Festa Cultural Calavera Colorida foi também uma galeria ao ar livre. A exposição fotográfica Arte é herança cultural, da fotógrafa e estagiária da Escola Upiá Nathália Gotardo, foi montada em um painel no pátio e mostrou momentos de concentração e arte com tintas, argila, giz de cera e lápis de cor de todas as crianças da Escola Upiá. As fotos estão fantásticas, as crianças adoraram encontrar seus retratos e os dos amigos. Com a temática da Calavera Colorida, a escola mostrou também as pinturas de calaveras da artista Candy Mayer (reprodução).

Um painel de fotos e informações sobre morcegos e corujas foi motivado pelo Dia das Bruxas e Halloween, celebrados no dia 31 de outubro. Estes animais são associados às bruxas e como por aqui gostamos muito de falar sobre bichos e natureza, e as mães coruja e morcego ganharam espaço na nossa festa.

As festas das bruxas se tornaram populares, apesar do pouco significado das tradições, das bruxas e dos e símbolos associados no Brasil. Graças ao Halloween, tivemos pela escola borboletas, bruxas, fadas, heróis, um simpático lobo e a chapeuzinho que são amigos de verdade e até um esportista dos anos 80. As pinturas faciais deram o toque final para liberar a imaginação das crianças e animar a brincadeira. No dia 31 é celebrado o Dia do Saci, que foi tema de atividades durante a semana e esteve presente nas travessuras e em um desenho em giz na parede. Os sentimentos como o medo também foram tema de atividades e conversas com as crianças desde a semana anterior à festa, tendo em vista os sustos que alguns disfarces de Halloween provocam nesta época do ano.

As crianças aproveitaram a festa e os adultos também. Além do bolo, frutas no palito e água saborizada que estavam deliciosos, o final de tarde de sol colaboraram para um agradável momento de confraternização da nossa comunidade escolar.

Confira algumas fotos da Festa Cultural Calavera Colorida.

Livros para o Dia Internacional da Menina

Maria é pintora
Clarice é escritora
Jane é primatóloga

Já escolheu uma história para ler neste Dia Internacional da Menina?

Confira as sugestões do nosso acervo!